O premiado drama Gabriel e a Montanha (2017), de Fellipe Gamarano Barbosa, foi o longa exibido na noite de abertura da 4ª Mostra de Cinema de Gostoso, que acontece na Praia do Maceió, em São Miguel do Gostoso, a 110 km de distância de Natal, no Rio Grande do Norte. Após ter sido exibido com sucesso no Festival de Cannes, onde teve sua première internacional, o filme passou pelo Festival do Rio e Mostra de São Paulo. Inspirado em fatos reais, conquistou a plateia que assistiu à projeção na beira da praia. Sim, pois a cidade possui festival de cinema, mas não tem uma única sala de exibição, o que obrigou os organizadores a levantar uma estrutura provisório no lugar mais popular de todos – próximo ao mar.

A cerimônia de abertura começou com os discursos políticos de praxe – tanto a prefeitura como o governo estadual apoiam a iniciativa – e com a fala do cineasta Eugenio Puppo, diretor do evento. Com programação inteiramente gratuita, a Mostra de Cinema de Gostoso teve sua primeira edição em 2013, retornando nos dois anos seguintes. Após um período de crise, quando precisou ser interrompida, ela retorna agora, com cinco dias de atividades.

Matheus Sundfeld e Eugenio Puppo, os organizadores da Mostra de Cinema de Gostoso

Além do longa estrelado por João Pedro Zappa – que, aliás, está presente em São Miguel do Gostoso – outros três curtas foram exibidos. O Grande Ó é resultado do esforço conjunto do coletivo Nós do Audiovisual, formado com alunos de oficinas de edições anteriores da mostra. Combinando o universo dos videogames, crítica ao consumismo e empoderamento feminino, o filme arrancou aplausos de uma plateia ansiosa em se ver na tela.

O bom retorno da audiência continuou com os dois curtas seguintes. Carneiro de Ouro, de Dácia Ibiapina, já havia sido exibido no Festival de Brasília e é um documentário sobre um cineasta piauiense que insiste em fazer cinema ao seu modo, mesmo diante das condições mais adversas possíveis. Já Borá, de Angelo Defanti, parte de um fato verídico para fazer a sua própria versão dos fatos. Em 2012, o prefeito da cidade de Borá, no interior de São Paulo, foi ao Facebook e, em uma postagem, propôs um acerto de contas em relação à campanha política que se desenvolvia naquele momento e o quão importante era, de fato, para aquela comunidade manter o duvidoso título de “cidade menos populosa do Brasil”. O resultado é, no mínimo, curioso.

Plateia na Praia do Maceió, em São Miguel do Gostoso

No dia seguinte, representantes de todos os filmes se encontraram com o público e com a imprensa para uma conversa. Segundo Bruno Beauchamps, distribuidor de Gabriel e a Montanha, estar no festival era uma oportunidade de mostrar o filme a um público que, de outra forma, nunca o veria: “estamos na terceira semana de exibição no circuito comercial, e aqui no Rio Grande do Norte foi exibido apenas em Natal. A gente queria ir além, por isso aceitamos o convite de vir para a Mostra de Gostoso”. Já Dácia apontou para a necessidade de se valorizar todos os tipos de documentários: “dizem que é muito fácil fazer um documentário quando o personagem retratado é bom. Mas é o olhar do cineasta que revela quem é aquela pessoa de verdade. E isso precisa ser reconhecido”. Por fim, Carlos Eduardo Firmino, diretor de fotografia de Borá, apontou para como é importante uma equipe de cinema estar pronta para o inusitado: “quando chegamos naquela cidadezinha, tínhamos outro filme em mente. Só que nenhum dos moradores de lá, nem mesmo o prefeito, quis falar conosco. Tivemos que pensar numa outra forma de fazer o filme. Foi daí que surgiu a ideia de usar aquela postagem do facebook como fio condutor, usando um texto do Daniel Galera e a locução do grande Genésio de Barros”.

A quarta edição da Mostra de Cinema de Gostoso segue até o dia 21 de novembro. Na segunda noite da programação competitiva serão exibidos os curtas Moeda Gostoso, do Nós do Audiovisual, Mamata, de Marcus Curvelo, e Nada, de Gabriel Martins. A sessão se encerra com os longas Escolas em Luta, de Eduardo Consonni, Rodrigo T. Marques e Tiago Tambelli, em competição, e As Duas Irenes, de Fábio Meira, em exibição especial. Confira no Papo de Cinema nossa cobertura exclusiva da 4ª Mostra de Cinema de Gostoso!

(O Papo de Cinema está em São Miguel do Gostoso a convite da organização da 4ª Mostra de Cinema de Gostoso)

Veja também

As duas abas seguintes alteram o conteúdo abaixo.
avatar
é crítico de cinema, presidente da ACCIRS - Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul (gestão 2016-2018), e membro fundador da ABRACCINE - Associação Brasileira de Críticos de Cinema. Já atuou na televisão, jornal, rádio, revista e internet. Participou como autor dos livros Contos da Oficina 34 (2005) e 100 Melhores Filmes Brasileiros (2016). Criador e editor-chefe do portal Papo de Cinema.
avatar

Últimos artigos deRobledo Milani (Ver Tudo)

Comentários