Durante a última edição do Festival do Rio, em outubro de 2017, uma das sessões mais disputadas em pré-estreia foi a do drama francês 120 Batimentos por Minuto (2017), vencedor do Prêmio da Crítica, da Queer Palm – como melhor longa de temática LGBT – e do Grande Prêmio do Júri Oficial no Festival de Cannes. E quem esteve na capital fluminense acompanhando as primeiras exibições por aqui foi o protagonista Nahuel Pérez Biscayart, que interpreta Sean, um dos ativistas do grupo Act Up Paris que, no início dos anos 1990, participou de protestos e ações de conscientização a respeito da doença, ao mesmo tempo em que enfrentava os sintomas do vírus, devido a sua condição como soropositivo, e o início de um relacionamento amoroso com o colega Nathan (Arnaud Valois). Nahuel é argentino, e cresceu entre seu país natal e a França, tendo iniciado sua carreira aparecendo ao lado de astros como Ricardo Darín (Aura, 2005) e Léa Seydoux (Grand Central, 2013). Premiado pela Associação de Críticos de Cinema Argentinos e no Queer Lisboa, ele foi indicado ao Lumiere, ao Globo de Cristal e ao European Film Awards como Melhor Ator por seu desempenho neste mais recente trabalho. E foi sobre este impressionante filme que ele conversou com exclusividade com o Papo de Cinema. Confira!

Veja também

As duas abas seguintes alteram o conteúdo abaixo.
avatar
é crítico de cinema, presidente da ACCIRS - Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul (gestão 2016-2018), e membro fundador da ABRACCINE - Associação Brasileira de Críticos de Cinema. Já atuou na televisão, jornal, rádio, revista e internet. Participou como autor dos livros Contos da Oficina 34 (2005) e 100 Melhores Filmes Brasileiros (2016). Criador e editor-chefe do portal Papo de Cinema.
avatar

Últimos artigos deRobledo Milani (Ver Tudo)

Comentários