Crítica

Por onde começar? Vou escolher uma palavra e partir daí: ‘trágico’. Sim, esse talvez seja o melhor termo pra descrever Maluca Paixão, o mais recente projeto da talentosa comediante Sandra Bullock. Trata-se de um projeto que ficou engavetado por anos e está pronto há um bom tempo, finalmente deu o ar das graças nos cinemas com muita expectativa e ansiedade por parte do público, mas errou feio no alvo.

Sandra e sua produtora Fortis Films talvez tenham escolhido o momento certo para esse lançamento, dois meses depois do estrondoso sucesso de A Proposta e um pouco depois de Se Beber Não Case, que catapultou ao estrelato o ator Bradley Cooper, coadjuvante de Sandra nesse filme. Essa combinação garantiu boas colocações nas bilheterias norte-americanas por mais de um mês ininterrupto. Mesmo assim, Sandra não conseguiu atingir os críticos ou o grande público com esse novo trabalho. Com um argumento que tinha tudo pra ser o de uma super-comédia, esse filme foi transformado em uma grande tragédia, em todos os sentidos.

Não me entendam errado. Os atores estão muito bem, obrigado. Sandra não poderia ser mais encantadora, mas infelizmente o longa se perdeu em seu próprio argumento, e o que deveria ser 95% riso e 5% sentimentalismo barato se transformou no exato oposto. Que erro! Sem conseguir se decidir entre ser engraçado ou inteligente, ou mesmo um meio termo entre estes dois extremos, vê sua situação piorar durante o desenvolvimento da ação, que fica entre o romântico e o dramático, para depois não se identificar nem com o drama pastelão ou com a tragédia cômica. Tudo está errado, do começo ao fim.

Mais uma vez o padrão da carreira de Sandra Bullock se repete: sempre em meio a alguns acertos ela arruma tempo pra incluir umas bombas-atômicas pra matar o tempo. Os filmes que dão errado geralmente cometem os mesmos erros: querem falar sobre assuntos e pontos de vista que não são cabíveis no meio do enredo que é proposto e que chama o público aos cinemas. O problema desses filmes é explicado pela própria atriz e produtora, que diz que Maluca Paixão (assim como os anteriores deslizes), é uma comédia pra “caras” feita por uma mulher! Ela mesmo fala que não é um filme bobo como todos os outros, e é justamente esse o erro!! Comédias masculinas não querem passar mensagens, ser politicamente corretas ou inteligentes! Só querem divertir o público. Portanto, Sandra que me desculpe – sou um dos seus maiores fãs – mas infelizmente esse filme não passou nem na linha do admissível! Não é a toa que a Touchstone, que distribuiu o filme no mercado americano, empurrou tanto com a barriga o seu lançamento! Esperem chegar no dvd e vejam se tiverem tempo.

As duas abas seguintes alteram o conteúdo abaixo.
avatar
Jornalista, trabalha na indústria da moda e entretenimento. Após experiências em renomadas agências internacionais como Ford Models e Marilyn Agency, atualmente está na Elite Models, em Nova York, Estados Unidos. Como jornalista produziu matérias de capa para revistas como Vogue, L'Officiel, Empório e Spezzato e para o site de estilo de vida brasileiro IG Gente. Aqui o autor pretende mostrar o seu ponto de vista sobre o que acontece no mundo da sétima arte em terra estrangeira.
avatar

Últimos artigos deGabriel Rocha (Ver Tudo)

Veja também

Comentários