Crítica

A série de televisão Esquadrão Classe A fez muito sucesso nos anos 80, tanto nos Estados Unidos como no Brasil. Mas, apesar dos fãs e da popularidade, nunca foi motivo de culto ou adoração, como tantas outras. Por isso a surpresa quando foi anunciado que uma versão cinematográfica, mais de 20 anos depois, seria produzida. E o espanto continua até o momento em que a conferimos agora, na telona: o filme é muito melhor do que se poderia esperar! Claro aqui que tem tudo que é esperado – explosões inacreditáveis, efeitos especiais de última geração, reviravoltas mirabolantes, enredos improváveis – mas com um diferencial muito importante: um bom humor contagiante!

O tal Time A (do título original, The A-Team) é formado por quatro ex-oficiais do exército americano que agem clandestinamente, mas sempre em luta da verdade e da justiça – óbvio! Eles foram injustiçados por uma armação, e enquanto não conseguem provar que são inocentes, seguem atuando independente da aprovação das autoridades. Se essa explicação era o ponto de partida do programa televisivo, agora ocupa toda a trama do filme, que se preocupa basicamente em esclarecer quem são esses quatro personagens, como se uniram e o que passaram até chegar onde estão. É o típico filme de origem, que mostra ‘como tudo começou’. E como o resultado é bastante satisfatório, pode apostar que uma série de continuações já deve estar programada.

Esquadrão Classe A, que contou com a direção de Joe Carnahan, conhecido pelo policial “Narc”, é só mais um dentre uma lista de remakes de antigos seriados de televisão que estão sendo levados para a tela grande. Até o momento já tivemos Missão Impossível e As Panteras como exemplos mais bem sucedidos (e o novo filme é uma boa combinação entre os dois, com ação e graça equivalentes). Mas houve também uma série de decepções, como S.W.A.T., Miami ViceStarsky & Hutch, Sou Espião, Mod Squad, Os Gatões e G.I.Joe, todos com uma performance nas bilheterias bem aquém do esperado. E o próximo capítulo será com o novo Karatê Kid, previsto para estrear em breve e com o filho do Will Smith como protagonista. Ou seja, é uma moda nem um pouco passageira, pelo visto.

À frente do elenco de Esquadrão Classe A está o workaholic Liam Neeson (que neste ano já estrelou o drama O Preço da Traição e a aventura Fúria de Titãs), que comanda a equipe formada por Bradley Cooper (Se Beber Não Case), Sharlto Copley (Distrito 9) e Quinton ‘Rampage’ Jackson, este último como o emblemático ‘B.A.’. Como contraponto está a bela Jessica Biel (Eu os Declaro Marido e... Larry!), que de mocinha indefesa não tem nada. Mas se ela parece completamente equivocada em seu papel de tira durona, os quatro protagonistas respondem bem à responsabilidade que assumiram. E assim nos entregam um filme que não ficará na memória de ninguém, mas que ao mesmo tempo garante a qualquer espectador duas horas de muitas risadas e diversão. E às vezes isso é tudo o que queremos.

As duas abas seguintes alteram o conteúdo abaixo.
avatar
é crítico de cinema, presidente da ACCIRS - Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul (gestão 2016-2018), e membro fundador da ABRACCINE - Associação Brasileira de Críticos de Cinema. Já atuou na televisão, jornal, rádio, revista e internet. Participou como autor dos livros Contos da Oficina 34 (2005) e 100 Melhores Filmes Brasileiros (2016). Criador e editor-chefe do portal Papo de Cinema.
avatar

Últimos artigos deRobledo Milani (Ver Tudo)

Veja também

Comentários