A partir desta semana, a Fundação CSN, braço social da Companhia Siderúrgica Nacional, estreia a Mostra Itinerante Histórias que Ficam. A iniciativa é resultado da segunda edição do edital Histórias que Ficam, programa de consultoria, fomento e difusão do documentário brasileiro que, nesta edição, investiu R$ 1,3 mi na produção de quatro filmes de até 70 minutos, com temática livre. As exibições são abertas ao público, mediante retirada de senhas uma hora antes da exibição.

O programa Histórias que Ficam recebeu 273 inscrições, vindas do Brasil todo. Os filmes serão exibidos até o dia 20 de maio, em mais de 20 cidades do país, principalmente as que não possuem um circuito expressivo de exibição. As informações sobre cada cidade envolvida no projeto podem ser adquiridas no site oficial, e os filmes selecionados abaixo:

  • Corpo Delito (2017), de Pedro Rocha
  • Iramaya (2017), de Carolina Benjamin
  • Guarnieri (2017), de Francisco Guarnieri
  • No Vazio do Ar (2017), de Priscilla Regis Brasil

(Fonte: em Branco Assessoria)

Veja também

As duas abas seguintes alteram o conteúdo abaixo.
avatar
Cinema e cultura pop com opinião!
avatar

Últimos artigos dePapo de Cinema (Ver Tudo)

Comentários