Com a estreia agendada para esta quinta-feira, dia 18 de maio de 2017, encerra-se uma jornada de oito anos desde o início do projeto de O Rastro, um raro exemplo de produção nacional que aposta em um gênero pouco explorado pelos nossos realizadores: o terror. Pois o filme dirigido pelo estreante J. C. Feyer chega aos cinemas com requintes de superprodução, em lançamento nacional e com um elenco repleto de rostos conhecidos. Entre eles, se destacam o de Rafael Cardoso, em seu terceiro trabalho como protagonista na tela grande, após o polêmico Do Começo ao Fim (2009) e o épico histórico Os Senhores da Guerra (2012), e a novata Alice Wegmann, que apesar de ser popular na televisão, só havia participado de um único longa antes, a comédia Tamo Junto (2016). Pois foi com os dois, que haviam atuado juntos na novela A Vida da Gente (2011), da Rede Globo, que o Papo de Cinema foi conversar, a convite da Imagem Filmes, para saber um pouco mais sobre essa história de fantasmas ambientada em um hospital decadente no Rio de Janeiro. Confira nosso bate-papo inédito e exclusivo na segunda parte da nossa cobertura sobre o lançamento de O Rastro:

As duas abas seguintes alteram o conteúdo abaixo.
avatar
é crítico de cinema, presidente da ACCIRS - Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul (gestão 2016-2018), e membro fundador da ABRACCINE - Associação Brasileira de Críticos de Cinema. Já atuou na televisão, jornal, rádio, revista e internet. Participou como autor dos livros Contos da Oficina 34 (2005) e 100 Melhores Filmes Brasileiros (2016). Criador e editor-chefe do portal Papo de Cinema.
avatar

Últimos artigos deRobledo Milani (Ver Tudo)

Comentários